Blogger Template by Blogcrowds

SINTA


Não pense, não fale, apenas sinta
Sinta as batidas do meu coração
Quando ouvir aquela canção
Ouça as palavras que se soltam no ar
Tais quais andorinhas num dia de verão
São os versos que eu escrevi
Jogados alí abrindo caminhos
Por entre os espinhos de sentimentos mesquinhos
Momentos emprestados e nunca devolvidos
Sonhos perdidos e esquecidos
Fantasias e quimeras guardadas
Iluminando todos os meus delírios
Reacendendo a antiga chama
Alimentando esse amor intenso
Amor louco, febril, com gosto de pecado
Então sinta, nestas minhas rimas perdidas
O rascunho de uma vida.

Alessandra

5 comentários:

Demonstraste a tua enorme sensibilidade...escrevendo e amando.
Parabéns!
Beijooooooooo

27 de setembro de 2009 01:17  

It is so touching...if that doesn't touch some one's heart, then they don't have a heart.

27 de setembro de 2009 19:18  

ogni nuova poesia una storia differente, brava bravissima!!

27 de setembro de 2009 19:50  

E eu te abraço juntamente com o teu poema que está lindissimo!!!!!
Beijo

28 de setembro de 2009 11:55  

Ah os amores proibidos... Estou prestes a me permitir um deles...
Inspirador o seu poema...
Bjs.

10 de outubro de 2009 23:17  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial