Blogger Template by Blogcrowds

Ás vezes...


Às vezes

 
Às vezes, me sinto como se fosse o mar,
O teu mar... pois no sal das ondas
Tu afundas o teu prazer,
Para tirar a sede que te consome,
Aquietar a fome que tens de mim
E saciar a tua ávida vontade.

Mas, às vezes, me sinto como uma flor
De doces e suaves pétalas,
Que só por ti cada vez desabrocha
E só por ti cobre-se de orvalho.
E tu destacas uma por uma as pétalas
Até chegar ao caule repleto do néctar.

Caule que encerra dentro de si
Aquela preciosa jóia do nosso prazer
Que somente nós conhecemos,
Aquele caule que esconde
E que, cada vez, se renova,
A beleza sublime do meu e do teu êxtase.


Lully



Sob a lua


Sob a lua

(Quintanilha)


 Vou dançar sob essa linda lua
Deixando uma estrela me invejar
Pois com o teu toque quero te amar
Quero beber o amor, me embriagar
Nesse licor raro que me acentua. 

Desenhas linhas com boca amante 
No meu corpo sempre desejado
Faz-me tua na noite cintilante.

Deito no perfume almiscarado
Sussurro o que tanto quero pedir
E as minhas mãos irão te descobrir
Pra loucura quero te conduzir
Nesse doce sonho arrebatado.

Vou te esconder dentro do coração
Pra que a paixão sempre me possua
E te amar com a total rendição.

Lully


Rimas de amor

 
Rimas de amor


Ao te beijar os lábios, voltei ao passado
Quando no mar abraçávamos as ondas.
Olhares e ternura, o mar envolvendo
O corpo extasiado pelo suave momento.
E eu tão pequena, querendo-me perder
No teu respirar, no doce teu olhar
Fazendo de mim a tua catedral.
Foi no primeiro gemido que senti
Todo o amor que inventamos,
O crescer do prazer como num pote de mel.
Acariciei os teus beijos com saudade,
Senti o tremor nesse teu corpo de papel,
Peguei a pena e comecei a escrever,
Com o desejo à flor da pele,
Compondo esse poema
Ao caminhar em direção do sol
Desnudando o meu coração
Em rimas de amor.


Lully




Guerreira do amor...


Sentindo o teu sabor, sorvo o suor
em gotas de desejo do teu corpo,
e nessa tua maestria, sou subcorpo
compartilhando tudo ao teu redor...

Sou o teu fiel vassalo, e sem menor
pudor, tens-me completo, e assim, encorpo
o teu prazer febril, e corpo a corpo,
tu me tens com destreza e bem melhor...

Chicoteiam o ar os teus cabelos
e as tuas mãos em meu peito, vão cravando
todas as emoções sem atropelos...

Nessa guerra de amor, eu vou tentando
conter, mas, és guerreira sem apelos,
pois basta um olhar teu, que vou te amando...


( Nivaldo Ferreira ) **** 06/02/2012

 
Amazona


Guerreira correndo pelo mundo afora,
sempre a procura da tua luta de amor,
pois quero da paixão todo o esplendor,
cavalgando o meu corcel até a aurora.

Quero te encontrar sou tua perseguidora,
na guerra da volúpia és o gladiador,
sei que vais implorar aos meus pés com fervor,
Pra qu’eu te dê tudo, e seja tua senhora.

Destaques a minha feminilidade,
e faz do meu corpo uma flor que orvalha,
me ame muito até que surja a claridade.

Fico prostrada no campo de batalha,
não há vencedores nem rivalidade,
só o calor desse amor que agasalha.


Lully - 7/02/2012





Feitiço cigano


Feitiço cigano


Queria ser uma cigana,
Dançar ao redor da fogueira
Numa noite de lua cheia
E ler o meu amor na palma da tua mão.

É um sonho que me dá prazer
Sentir, sob o céu cintilante,
O teu corpo na dança ondulante
Encostado ao meu.

Ver nos teus olhos o brilho
Das vívidas labaredas
Fogo sagrado que incita
Ao mais puro desejo.

Convide-me a seguir a estrela
Nesse mágico caminho
Aqueça-me com o calor dos lábios
Recendentes do mais forte querer.

Vista a minha pele nua
Com o feitiço do amor
Faça-me voar como uma fada
Deite-se comigo no leito da paixão.

Lully



Nas garras do Desejo

* Lully & **Giovanni Pelluzzi


De transparência ousada me visto, *
Olhando para o mar deixo-me voar
Pra te alcançar, sem ti não resisto
No teu desejo quero me encontrar.

Toco teu corpo, minha volúpia na tua **
Num êxtase intenso que me faz delirar
Em cada curva de tua carne nua e crua
A doce sutileza neste gesto de te amar.

Apago o tempo com um sorriso *
E tu estavas lá à minha espera
Pois sabes que do teu amor preciso
Penso em ti, meu coração acelera.

Beber-te-ei em goles, pouco a pouco, **
Saciar-me-ei da tua carne em desejos
Tu me fazes levitar em sentido louco
Afagando-me em tatos e suaves beijos

Pra me amar numa forma devassa *
Descubra-me então no teu gesto
Pegue nos meus seios como taça
Permita a paixão fazer o resto.

Sou a fera que te devora esfomeada **
Sugando teus seios, teu sexo e tua vida
Sem deixar vestígios da fome saciada
Pois te amar é beleza de alma suprida

Matemos esse desejo que arde *
Até n´alma, seja meu bandido
Amando-me antes que seja tarde
Quero deixar-te aos meus pés, vencido.



Sorrindo ao ler Neruda


Eu sorria lendo Neruda
Pensava, o amor é um fato
O amor é feito de gestos
O amor não fala palavras
E agora não penso, mas falo
Agora não penso, mas imploro
Que escutes o meu canto
Fluindo em rimas e versos
Transformando palavras
Querendo ser ouvidas
Por ti, que dizias palavras
Com um pouco de orgulho.
Tu fazes falta, eu te imploro
Acabe com a tua ausência
Silenciosa e sofrida
Que mata as palavras de amor!

Lully



Quereres



Quereres

(Dupleto)


Quero achar um lago de água pura
Desenhar olhares de maresia
Abraçando marés com doçura
Saciar o olhar do luar com ternura
Perfumar a noite igual ao dia
Ver a Lua em toda formosura.

Ter amor pra dançar com loucura
Tango de sedução envolvente
Ou uma bela valsa com mesura
Correr enlaçada na cintura
Com alguém um pouco inconseqüente
Um sonho com a cor da aventura...

Sinto esse teu abraço a cada instante
Teu toque que escorre pela pele.

Que ao teu corpo quer que me modele.
O desafio da tua mão errante.



By Lully



Inebriante paixão


É à noite quando bate a porta
A tua lembrança sempre teimosa
O meu coração já não suporta
Essa tua ausência tão caprichosa.

O amor que essa tua boca deseja
Desafia e rasga a minha pele nua
Forte paixão no delírio almeja
Lindos segredos sob a luz da lua.

Mas eis que chega a manhã de ouro
Me encontra nos lençóis à espera
De alguém que me torne seu tesouro
E anule esse tempo que exaspera.


(Lully)


E eu aqui ávido... sigo sonhando,
Com o teu corpo nu e tão poético.
Navego nos mares... desejando
Atracar, no teu porto, frenético.

Que o tempo cale essa lembrança
Minhas mãos te toquem pouco a pouco
E a espera que fere como lança,
Dê esperança a esse amor tão louco.

E afinal quando esse dia, enfim, chegar...
Serei teu... Amor materializado.
Nosso beijo sem pressa de findar
Meu corpo em ti repousar...saciado


(Nelson Rodrigues de Barros)



Peço-lhe


Peço-lhe


Vou lhe pedir uma coisa,
Apaixone-se por mim!
Violente-me de amor,
De um amor profundo
Que seja único e doce
E me leve até o seu coração
Lá bem no fundo
Faça-me sonhar os seus sonhos
E vivê-los numa ternura sem igual,
Tornando-nos um só.
Sufoque-me de beijos, de carícias
Como se eu fosse a única mulher,
Faça-me voar contigo nesse céu
Até o azul infinito, lá onde os sentidos
Explodem, ao se encontrar
Formando um duo de paixão,
de desejos e de volúpía.
Por favor, apaixone-se por mim
Quem quer que você seja!


Lully

Sonho vadio



Sonho vadio


Sonho vadio, voraz e teimoso,
chega pintado com todas cores,
teima em cair nos lençóis, caprichoso,
mistura o odor dos nossos amores.

Me atiça ainda na noite, fremente,
vem na minha madrugada ciosa,
carregado de sabor ardente,
se mescla, à minha vontade ansiosa.

Gemidos de lira abrasadora,
roupas no chão, e a cama desfeita,
lembro do teu beijo de amora,
mas é a saudade que se deita.

Venha! Esse é o corpo por ti amado,
te espero, no amanhecer rosado.


By Lully

Saudades...



Saudades...


De uma noite de verão,
quando as flores abrem suas pétalas, unindo-se à brisa
Para num aplauso perfumado, receber a lua cheia
Que brinca no céu, ofuscando o brilho das estrelas.

De um lago perdido em algum canto da memória,
Do cheiro de terra molhada e capim amassado,
Arrepiando o corpo na volúpia da natureza.
Da explosão sensual de cores no horizonte,
Ao despertar do astro rei, repleto de luz e calor...

Das ondas quebrando no silencio da madrugada,
Esculpindo na rocha figuras fantásticas,
Talhadas pelo cinzel de misterioso e invisível artista.

Saudade...
De mistérios desvendados, criando enigmas ainda maiores.
Da poesia que se esconde em cada verso não composto,
porem, vivido e compartilhado.

Saudade que é a prece e também o milagre...
A água pura da fonte mais profunda,
Que tem no sabor o mistério da terra.

Saudade do escuro da mata, que hipnotiza e acalma...
Do silencio e do suspiro que escapa da noite,
Da procura e da resposta...
Saudade de você.


Carlili L. Vasconcelos



Lágrima

(Indriso)

Aparece assim na rósea madrugada,
Como onda no mar, uma lágrima
Teima em desaguar sem ser notada.

Quer se esconder, nua, perdida, gelada
Nas mãos do tempo amarrotada
Vestida de sal, tristeza e mais nada.

Recordando sonhos vividos.
Gemidos entre palavras soltas.


By Lully

Seguindo as lágrimas poéticas da sensível Lully FERRARIO

Lágrimas no olhar

(Indriso)


Poderia ter sido o céu cinzento
ensombreando o sol ao rés do chão
ou da rua modesta o movimento.

Talvez do ir e vir o desalento
ou do dia inditoso a solidão,
a solidão sustando a voz do vento!

Talvez por mais não ter a quem se dar
fosse a razão das lágrimas no olhar!

Odir Milanez

JPessoa/PB

14.01.2012




























Amor, paixão e desejo


O amor disse: eu sou poderoso!
Faço o mundo girar e acontecer,
Sem mim ninguém pode sobreviver
Porque eu domino majestoso,
Faço o coração ser amoroso.
Proporciono encontro de casais
Juntos almas e corpos casuais,
Nessa vida do sonho faço amor
Por mim tudo vira um esplendor,
Nessa chama eterna faço a paz.

A paixão disse loucamente,
Viver apaixonado é um risco,
Penetra nosso corpo tal corisco
Precisa sentir urgentemente
Porque vai embora de repente.
Tolhe completamente a razão,
Deixa ofegante o coração,
Onda gigantesca que domina
Te joga pro alto, repentina,
Por isso arrebata a paixão.

Na paixão e no amor há o desejo,
O que faz essa boa conjunção
Unindo amantes na sedução,
Não se resolve só com beijo
Explode célere num lampejo.
Se doando e perdendo a calma,
Envolvendo até a própria alma,
Quando o fogo brilha nesse olhar
O corpo não consegue segurar,
E o desejo nunca que se acalma.

Um grande amor para ser completo,
Precisa ter paixão e loucura,
Carregado sempre com ternura
E ser de parceria, tão repleto,
Tornando-se anseio predileto.
Necessita, desejo e carinho,
Adentrado por um torvelinho,
Juntando todos os sentimentos,
Aproveitando esses momentos
Comemoram com taça de vinho.

By Lully e Domfiuza

Protected by Copyscape Online Infringement Detector











 

































Seguindo as pegadas poéticas da doce Lully FERRARIO
e do nobre Vate Daniel FIÚZA


DESEJO, PAIXÃO E AMOR

Odir Milanez


“Eu não amo ninguém!” - diz o desejo.
“Gosto apenas do gozo, adoro o orgasmo,
apesar da fraqueza e do marasmo
vindos depois do derradeiro beijo.
Eu sigo um corpo, faço-lhe o bordejo,
provoco-lhe, de pronto, frente a frente,
até sentir que nele sou presente,
sentir-me plenamente satisfeito.
Não ponho nada meu dentro do peito.
Sou pensamento, pura e simplesmente!”

“Adoro o vaivém!” – diz a paixão.
“Poder me libertar da lucidez,
ir além dos limites... De uma vez,
romper todos os ritos da razão!
Não me sinto obstrita obsessão,
pois sou da vida a verdadeira amante.
Sou eu quem sabe suscitar o instante
para depois ser sombra no deserto.
Sou arrebatamento, quando perto,
mas desprezo e desdém quando distante.”

“Eu amo, apenas amo!” – diz o amor.
“Nada impede a passagem dos meus passos.
Distância alguma dista dos meus braços,
dês que a distância alguma dou valor.
O meu beijo das rosas tem a cor,
meu abraço aos abraços dá guarida,
sou avesso às visões de despedida,
semeio sensações de eternidade.
Para não ser e nem sentir saudade,
faço-me eterno, enquanto eterna a vida!”


JPessoa/PB
12.01.2012

oklima

















Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial