Blogger Template by Blogcrowds

FANTASMA ERRANTE


O luar enlaça o errante fantasma...
Que escondido na sombra da praça
Busca com os olhos vazios o perdido amor
Sonhando medos, buscando dor...
Recordando aquele sentimento
De eras e guerras...amores de outrora
Que continuam agora
Vividos ferozmente em instantes
De amantes...
Relembrados por ecos distantes
Escondidos entre a lua e a imensidão
Daquele céu salpicado de estrelas
Relembra os pactos... uma paixão
De surtos coloridos em preto e branco
Sem começo... sem fim...
Retorna o fantasma ao seu banco da praça
Deita a cabeça, cansado
Envolto em lembranças
Daquele amor sofrido que ainda
Não conseguiu encontrar
Assim continuará a vagar, perdido, errante,
Esperando que o tempo
Possa lhe devolver o roçar daqueles lábios
O perfume perdido no vento,
Esse perfume que aguça os sentidos...
Espera cansado em sua praça de ilusões
Fantasma solitário, pedinte de amor...

Lully
e
DeSouza

2 comentários:

Linda poesia Ale,
Beijos,
Mari

6 de agosto de 2010 19:35  

Querida Mari, é sempre um enorme prazer vê-la aqui. Muito obrigada!
Um beijo com carinho!

8 de agosto de 2010 00:33  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial