Blogger Template by Blogcrowds









PARA VOCÊ



Agora como lhe esquecer sabendo de sua doçura

Meus pensamentos não vagam mais livres como os pirilampos

O balé pelo desconhecido virou uma doce sonata
Um desejo romântico, insano pelo amor dessa ragazza

Te amo, como o sol ama a lua
Como o vento ama a chuva
Como a terra ama o mar

Te amo naturalmente, geneticamente
Independente de desejos
Já nasci te amando.
Só descobri agora,
Depois de forjar, de me moldar
Em sofrimentos vãos
Para que não só nossos corpos amem-se
Mas para que fosse completo e intenso esse existir.

Edson Carvalho Miranda

1 comentários:

Lindo, sensível, romantico...como sempre!
Obrigada

Alessandra

21 de junho de 2009 02:53  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial